Ervilha-de-cheiro – Família Fabaceae

Nome Científico: Lathyrus odoratus
Nomes Populares: Ervilha-de-cheiro, Ervilha-doce, Ervilheira-de-cheiro
Família: Fabaceae
Categoria: Flores Perenes, Trepadeiras
Clima: Mediterrâneo, Subtropical, Temperado
Origem: Europa
Altura: 1.2 a 1.8 metros
Luminosidade: Sol Pleno
Ciclo de Vida: Anual

A ervilha-de-cheiro é uma trepadeira anual de inverno. Ela apresenta caule herbáceo, áspero e ascendente por meio de gavinhas que se desenvolvem nas pontas das folhas compostas.

As suas flores são muito vistosas, perfumadas, solitárias e podem ser de cores e matizes variados, com degradés e combinações entre o azul, branco, amarelo, laranja, rosa e vermelho. Após a polinização formam-se vagens curtas, com sementes semelhantes a ervilhas, porém venenosas.

Além da grande beleza, essas flores exalam um perfume maravilhoso.

Cultivo

Cultivo a pleno sol, em solo fértil, bem drenado, enriquecido com matéria orgânica e irrigado periodicamente. Desenvolve-se melhor em clima subtropical e mediterrâneo. Não tolera altas temperaturas nem geadas. Quando a planta parar de produzir flores, já está no final do seu ciclo, devendo ser removida dos canteiros.

Propagação: por sementes.

Usos: cultivada como trepadeira em pequenos suportes como cercas, treliças e pérgulas. Os ramos floridos são usados na confecção de bouquets e arranjos florais.

Ervilha-de-cheiro

A ervilha-de-cheiro, embora seja uma das plantas mais vulgares e menos estimadas, constitui todavia um ornamento delicado para qualquer jardim, sendo agradabilíssimo o odor das suas flores, de variadas matizes.

Entre nós procede-se à sementeira da ervilha-de-cheiro nos meses de Março e Abril, isto é, na Primavera, ou então em Novembro e Dezembro, isto é, fins do Outono e começo do Inverno.

É muito comum ver-se ramos de flores e outros arranjos florais com as flores desta planta, não só pelo seu aspecto mas também pelo perfume. Se verificar que a planta deixar de produzir flores “ervilhas-de-cheiro”, então está na altura de trocar de planta trepadeira pois esta não voltará a produzir flores.

Curiosidades: embora seja originária do Mediterrâneo, a ervilha-de-cheiro foi descoberta na Sicília (Itália) pelo monge franciscano Franciscus Cupani, que a descreveu no Hortus Catholicus, publicado em 1697.

Mais informações na wikipedia.

4.6 (92.86%) 14 votos

2 Comentários

  1. Paula || at

    adoro esta flor

  2. Julia || at

    O cheiro desta flor faz-me recordar a minha infância.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar está a concordar com a sua utilização.