Buxinho ou Buxo – Buxus sempervirens

Nome Científico: Buxus sempervirens
Nomes Populares: Buxinho, Árvore-da-caixa, Buxo
Família: Buxaceae
Categoria: Arbustos, Bonsai, Cercas Vivas
Clima: Mediterrâneo, Subtropical, Temperado, Tropical
Origem: Ásia, Europa, Mediterrâneo
Altura: 1.8 a 2.4 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

Descrição do Buxo ou Buxinho

O buxo ou buxinho (Buxus sempervirens) é uma planta da família Buxaceae, lenhosa, em geral arbustiva, com folhas inteiras e perenes, frequentemente opostas, sem estípulas.

O buxus sempervirens é um arbusto pequeno, originário da Europa. Cresce em colinas secas e áreas de mato do centro e sul do continente europeu, na Ásia menor e não norte de África.

Em Portugal a maior concentração encontra-se em Trás-os-Montes, nomeadamente nos vales do Sabor e do Tua. Ocorre ainda noutros pontos do país, desde que as condições naturais e a acção do Homem o permitam.

O buxo ocorre em matos, bosques (pinhais, azinhais, carvalhais), margens de rios e em ladeiras rochosas.

O buxo comum apresenta folhas inteiras, opostas e flexíveis. A sua forma é oval e têm um tamanho muito pequeno. Costumam ter uma cor verde intenso e brilhante na face superior e na face inferior são pálidas e amareladas.

Quanto às suas flores, o buxus sempervirens floresce ocorre entre Fevereiro e maio.

As suas flores podem ser monoicas, ou seja, masculinas e femininas

Têm uma cor amarelada, medindo uns 2 milímetros e não têm cheiro.

Além disso, são muito ricas em néctar, por isso, atraem as abelhas. Ainda que o arbusto seja muito interessante para decorar, as flores não têm grande interesse ornamental.

Os frutos do buxo apresentam-se em cápsulas castanhas, ovais e duras, medindo cerca de 1 centímetro de comprimento. Amadurecem não verão e ao abrir-se podem ver-se 3 valvas com 2 sementes cada uma, de cor negro muito escuro e lustroso.

Buxinho

Sobre a Buxinho ou Buxo

A folhagem verde escura é resistente e regenera-se bem das podas semestrais. Se pretende um autêntico jardim francês não pode dispensar o buxinho em cercas vivas e bordaduras, porém deve ter paciência, pois o seu crescimento é relativamente lento se comparado aos outros arbustos.

A principal utilização é como planta ornamental em jardins, onde é utilizada para topiaria (a arte de adornar os jardins, dando às plantas diversas configurações, actividade já utilizada na antiguidade romana e mais recentemente, nos jardins à francesa.

Com o tempo e boas podas de formação, torna-se bastante compacto e denso.

A Buxinho tem grande durabilidade e rusticidade com os cuidados básicos, exigindo pouca manutenção. Perfeito para compor desenhos, cercas e esculturas vivas, também é muito utilizado para Bonsai. Adapta-se muito bem ao cultivo em vasos.

Esta planta é bem flexível, podendo ser criada tanto em vasos dentro de casa, o que é bastante feito por pessoas que fazem dela bonsais, quanto fora de casa, compondo cercas vivas.

É importante lembrar que em locais onde incidem mais sol existe uma tendência maior de nascer folhas.

Não é necessário muito cuidado com o frio nem quantidades muito grandes de água para esta planta se desenvolver bem, porém isso não é motivo para deixá-la esturricada, humedeça o solo sempre que estiver seco, mas sem exageros, geralmente regas em dias intercalados são suficiente.

De 3 meses em 3 meses, faça a adubação da Árvore-da-caixa

Quanto ao paisagismo, saiba que esta planta já está inserida neste conceito há muito tempo: é uma das plantas mais usadas para projectos de paisagismo.

Nos jardins franceses e italianos, o buxinho (Árvore-da-caixa) é item essencial, seja para servir de cercas-vivas ou para trazer beleza com formatos de desenhos geométricos, figuras diversas ou designs mais inusitados.

Ao projectar um jardim com buxinho, só não podemos esquecer de não exagerar no excesso de plantas topiadas. Uma planta desse tipo pede atenção.

A recomendação é que a planta faça parte do projecto num grupo, sendo ela o destaque e não a única espécie.

Video Buxus sempervirens:

Quanto às suas flores, o buxus sempervirens floresce ocorre entre Fevereiro e maio. As suas flores podem ser monoicas, ou seja, masculinas e femininas.

Têm uma cor amarelada, medindo uns 2 milímetros e não têm cheiro.

Além disso, são muito ricas em néctar, por isso, atraem as abelhas. Ainda que o arbusto seja muito interessante para decorar, as flores não têm grande interesse ornamental.

Os frutos do buxo apresentam-se em cápsulas castanhas, ovais e duras, medindo cerca de 1 centímetro de comprimento. Amadurecem não verão e ao abrir-se podem ver-se 3 valvas com 2 sementes cada uma, de cor negro muito escuro e lustroso.

CUIDADOS

– Localização

o arbusto crescerá melhor em zonas frescas e exteriores. As melhores localizações são as que tenham uma temperatura entre os 3 e 10 graus durante todo o inverno.

Devido à sua natureza, podem chegar a tolerar climas muito frios e geadas de até -10º centígrados. Necessita muita luz pelo que os lugares melhor iluminados são perfeitos para o seu desenvolvimento.

– Rega

está relacionada com a luz que recebe, ou seja, a rega vai depender da quantidade de luz solar recebida. Nas épocas do ano com temperaturas mais quentes, recomenda-se regar com mais frequência. No entanto, no inverno, a quantidade de água pode ser mais reduzida. Deve-se deixar secar a terra entre regas.

– Luz solar

devemos localizar o buxus sempervirens em zonas em que receba luz solar directa , mas de forma moderada. Pode crescer em espaços de semissombra.

– Adubo

durante as épocas de primavera e verão recomenda-se aduba-lo, tanto com adubos minerais ou orgânicos.

– Substrato

o buxo adapta-se a praticamente qualquer tipo de terreno. Se for plantado em zonas exteriores, o melhor substrato é o calcário. No entanto, se o plantar em vasos interiores, é melhor usar um substrato de cultivo universal misturado com perlite.

– Transplante

recomenda-se levar a cabo este processo no verão, quando não hajam geadas.

– Poda

o buxus sempervirens é de crescimento lento e muito resistente. Pode-se podar para manter a sua forma natural ou para converte-lo em sebes, decorando o jardim ou o interior da casa. Este procedimento deve ser realizado antes que floresça.

É fácil reproduzir o buxinho (Árvore-da-caixa) através de estacas obtidas dos ponteiros, ou seja, enterrando-se pequenos ramos em vasos com bom substrato. Só tenha em mente que seu crescimento é bastante lento, valendo a pena considerar a compra de uma muda já desenvolvida.

Buxus sempervirens ou buxo - Buxinho

DECORAÇÃO

Muitas pessoas têm investido nos buxinhos em vasos altos, os famosos cones, proporcionando um design sofisticado e com uma planta bem forte, podendo combinar entre os diferentes formatos para montar um belo jardim.

Pode ser complementado com pedras, cascas secas, grama, uma iluminação caprichada com lustres adequados, entre outros detalhes que enriquecem o local.

Com isso, esses buxinhos podem ser usados para decorar caminhos, corredores, cantos, ou apenas complementar com aquele detalhe para que seu paisagismo seja mais apresentável.

Poderá usar os buxinhos para decorar a entrada de casa, com ou sem caminho, caprichando logo na fachada, o quintal ou a varanda, a área de lazer com ou sem piscina e área gourmet, sacadas ou terraços e muitos outros locais que ganham mais vida e alegria com a presença dessas e outras plantas.

Mais info: https://pt.wikipedia.org/wiki/Buxo

Copyright Blog Flores. Reprodução permitida desde que indicando o endereço:
https://www.blog-flores.pt/flores-de-exterior/buxinho-buxus-sempervirens/

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *