Coração-sangrento – Dicentra spectabilis

Nome Científico: Dicentra spectabilis
Nomes Populares: Coração-sangrento,
Família: Fumariaceae
Categoria: Flores Perenes
Clima: Mediterrâneo, Subtropical, Temperado
Origem: Ásia
Altura: 0.6 a 0.9 metros
Luminosidade: Meia Sombra
Ciclo de Vida: Perene

Sobre o Coração-sangrento

O coração-sangrento é uma planta perene, ramificada desde a base, com ramos erectos, de textura herbácea e altura de cerca de 50 cm.

É uma planta muito bonita e de flores surpreendentes. Adequada para o cultivo em maciços, renques junto a muros ou apenas isolada, em canteiros bem preparados. Também pode ser plantada em vasos e floreiras.

As folhas são verde escuras, opostas, com nervuras bem marcadas e margens levemente onduladas. As inflorescências surgem na primavera e verão, e são do tipo panícula, terminais, com numerosas flores vermelhas e tubulares, com longos estames, envolvidas por um cálice branco, persistente, matizado de vermelho ou rosa-escuro.

Apesar de ser de meia-sombra, aprecia a luz directa do sol nas horas mais frescas do dia para não queimar as folhas.

Deve ser cultivada sob meia-sombra, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Aprecia o clima ameno, podendo ser cultivada em regiões de clima temperado, subtropical e tropical de altitude.

Em climas quentes apresenta folhas perenes e sob clima temperado é caducifolia, perdendo a folhagem no inverno, mas rebrotando na primavera.

Coração-sangrento - Dicentra spectabilis

Coração-sangrento não tolera estiagem

Multiplica-se por sementes e por divisão da planta formando mudas com folhas e rizoma.

Apesar de ser essencialmente um arbusto, este clerodendro é mais comummente adquirido e utilizado com o objectivo de ser uma elegante trepadeira. No entanto há que se realizar o tutoramento dos ramos, que se arqueiam e pendem naturalmente, mas podem ser flexionados e amarrados sobre um suporte adequado.

Apesar de vigoroso, o coração-sangrento é uma planta relativamente leve, que não engrossa demasiadamente o caule, podendo ser conduzida sobre suportes não tão robustos, como grades, treliças e cercas, assim como sobre árvores, colunas, caramanchões, muros, arcos, pórticos, etc.

No inverno as regas devem ser diminuídas. A fertilização deve ser feita mensalmente com um adubo líquido próprio para o período vegetativo, seja crescimento ou floração.

Aplique anualmente adubos orgânicos, como terra vegetal e esterco curtido, no final do inverno para melhorar as condições do solo.

No mesmo período, faça uma poda, eliminando ramos secos e doentes, e após a floração, eliminando as velhas inflorescências, para um melhor aspecto da planta. Podas de formação estimulam o adensamento da planta, principalmente quando deixada a crescer como arbusto.

Não produz sementes viáveis.

Coração-sangrento – Dicentra spectabilis
4.3 (86.25%) 16 votos

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *