Gengibre-magnífico – Zingiber spectabile

Nome Científico: Zingiber spectabile
Nomes Populares: Gengibre-magnífico, Sorvetão
Família: Zingiberaceae
Categoria: Arbustos, Flores Perenes, Folhagens
Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
Origem: Ásia, Malásia
Altura: 1.2 a 1.8 metros
Luminosidade: Meia Sombra
Ciclo de Vida: Perene

Esta planta é uma herbácea típica de regiões tropicais e que pode ser facilmente encontrada em florestas do sul da Tailândia. Uma planta que possui hastes fortes que crescer ao longo do rizoma, sempre erectas e parecidas com uma cana. Podem chegar a alcançar aproximadamente 1,5 a 2 metros de altura.

No paisagismo, o gengibre-magnífico encaixa-se perfeitamente em renques junto a muros ou em maciços sob a copa das árvores. A sua folhagem tropical é muito bonita, mas sensível a queimaduras, portanto deve-se evitar a luz directa do sol. Em condições ideais o seu crescimento é rápido.

Também pode ser plantada em vasos e jardineiras, tendo desta forma seu crescimento controlado.

As inflorescências surgem no verão e tem o perfume típico de gengibre.

Gengibre-magnífico

As inflorescências surgem na base da planta, oriundas directamente do rizoma. Elas são sustentadas por hastes fortes, erectas, com cerca de 40 cm.

As flores brancas ou amareladas são de valor ornamental secundário, pois são pequenas e abrem-se gradualmente entre as brácteas.

Pelo fato de ser uma herbácea exuberante é bastante ornamental, a sua inflorescência cilíndrica conta com brácteas que começam amarelas e com o passar do tempo vão mudando de cor até que chegam num tom de vermelho intenso com um lindo efeito de brilho.

Deve ser cultivada sob meia-sombra, em solo fértil, enriquecido com matéria orgânica e mantido húmido. Aprecia o calor e a humidade tropicais sendo perene em climas quentes assim.

No entanto pode ser cultivada em climas subtropicais, mediterrâneos ou temperados, mas entra em dormência no inverno e deve ser protegida do frio rigoroso em estufas.

Multiplica-se por estaca do caule, sementes e mais facilmente por divisão das touceiras.

Mais informações na wikipedia.

4.7 (94.55%) 11 votos

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar está a concordar com a sua utilização.