Cravina – Dianthus chinensis

Nome Científico: Dianthus chinensis
Nomes Populares: Cravina
Família: Caryophyllaceae
Categoria: Flores Perenes
Clima: Mediterrâneo, Oceânico, Subtropical, Tropical
Origem: Ásia, Europa
Altura: 0.1 a 0.3 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Bienal, Perene

Descrição da Cravina

A Cravina também conhecida como Dianthus chinensis, pequena planta florífera nata da Ásia caracteriza-se graças à presença de lindas flores formadas por várias pétalas longas.

Geralmente possuem cores quentes e de diferentes tonalidades no centro e na borda.

Cravina – colorida e fácil de manter em vaso ou jardim

Folhas estreitas que lembram o cravo, toda a planta exala um persistente odor.

Planta herbácea de carácter semi-perene, de folhas e caule verde-acinzentado e entrenós de verde mais claro amarelado.

As flores são simples, de pétalas recortadas na ponta, cálice estreito, podendo se apresentar do branco ao carmim e também bicolores.

Precisa de solo bem drenado, adapta-se bem ao pH dos solos (salinos e alcalinos).

Tolera a poluição atmosférica e a exposição marítima. Exposição solar e tolera temperaturas até cerca de -10ºC. Em climas húmidos pode ganhar fungos.

As sementes podem ser semeadas em vasos, sementeiras ou outros recipientes.

Como Plantar Dianthus chinensis

As cravinas são plantas fáceis de florescer, mas também fáceis de definhar, pois agentes abióticos de regiões diferentes interferem bastante em seu desenvolvimento.

É bastante comum observar que as cravinas não se desenvolvem completamente se expostas em locais com muito sol ou com muita sombra, sendo necessário haver um intermédio entre esses dois fatores.

Como são flores menores em tamanho, são mais sensíveis, e por isso depreendem uma atenção exclusiva por parte de quem tem a intenção de tê-las em seu jardim.

O ideal é plantar as cravinas em vasos, pois dessa forma será possível removê-las de intempéries que podem atrapalhar em sua plenitude, tal como chuvas fortes e ventos fortes.

O principal motivo em se plantar cravina em um vaso, tem como objetivo a facilidade em transportá-la para sombra quando houver temperaturas elevadas, e transportá-la para o sol quando houver muito tempo de chuva ou tempo nublado.

Se a cravina for plantada no solo, espera-se que seja numa região arejada, e não exposta.

Semeie a Cravina superficialmente em solo húmido

A germinação das sementes normalmente ocorre de uma a quatro semanas e o transplante para o local definitivo pode ser feito quando as mudas estiverem com 5 ou 6 semanas de vida.

Em regiões de clima frio, floresce principalmente no fim da primavera e no verão. Em regiões com inverno relativamente ameno, pode chegar a florescer durante todo o ano.

Paisagismo

A flor é pequena e com grande variedade de cores vivas, muito aromática e amiga das abelhas, é uma ótima opção para você cultivar na primavera.

É fácil de manter, muito resistente e duradoura. Não deve ser mantida em ambientes internos devido à sua necessidade de sol direto.

Cultivada como bordadura de canteiro, tende a formar densas touceiras.

Para preenchimento de maciços a pleno sol, em vasos e em conjunto com lobélias e alissos em vasos tipo bacia tem belo efeito ornamental sobre gramados.

Mistura para solo

A terra adequada para o cultivo de cravinas é uma mistura de terra orgânica bem adubada e areia grossa, a 50%, que você vai usar para encher as covas, nos canteiros, os vasos e jardineiras.

Não se esqueça da camada de pedrisco forrando o fundo, pois a cravina (Dianthus chinensis) não aceita encharcamento do solo.

Utilize um solo rico em matéria orgânica e com boa drenagem para que o acumulo d’água não estimule a propagação de fungos que podem trazer doenças as suas plantas.

Para isso misture fertilizante orgânico e areia grossa ao solo onde pretende plantar a Cravina.

Irrigue de forma a mantê-lo sempre ligeiramente úmido, em dias alternados geralmente é o suficiente para épocas não muito secas ou quentes

Época de floração

Em regiões de clima frio, floresce principalmente no fim da primavera e no verão. Em regiões com inverno relativamente ameno, pode chegar a florescer durante todo o ano.

Adubação

Prefere fertilizante orgânico.

Dianthus chinensis - Cravina

Curiosidades Sobre As Cravinas

– A origem da cravina vem da China e outros países asiáticos, que possuem grande amor e respeito pela planta.

– A cravina precisa de luz solar, mas não pode ficar em ambientes abafados.

– Regiões com sombras são as ideias para as cravinas, conferindo longevidade a flor.

– Atualmente, a cravina supera o número de 300 espécies.

– A cravina atrai pássaros, abelhas e borboletas, pois possui um aroma e seiva agradável.

– Para evitar a presença de predadores, é importante pulverizar venenos naturais feito de forma caseira ou comprados em lojas de jardinagem.

– A cravina é um tipo de flor ornamental que pode estar presente em jardins e em espaços internos da casa, para conferir beleza e requinte ao ambiente.

– Apesar de ser cultivada como uma planta ornamental, a cravina ainda é presente em vários Países em sua forma selvagem.

– Apesar de não sobreviverem a ambientes quentes, a cravina se desenvolve melhor no verão.

– A cravina irá florescer plenamente debaixo do sol, porém, não atingirá seus anos de vida completamente.

– Não é indicado regar a cravina com frequência, sendo necessário apenas duas vezes por dia.

– Os principais predadores da cravina são as lesmas e caracóis.

A cravina é uma planta fácil de cuidar e pode ser cultivada em jardins, vasos e jardineiras. Suas flores, além de serem muito bonitas, são geralmente perfumadas, e podem ser usadas como flores de corte.

Da mesma família são os cravos ou craveiros (Dianthus caryophyllus) que são maiores do que as cravinas e tão aromáticos quanto.

Copyright Blog Flores. Reprodução permitida desde que indicando o endereço:
https://www.blog-flores.pt/flores-de-exterior/cravina/

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *