Trepadeira Ipomoea cairica ou “campainha”- Familia Convolvulaceae

ipomoea 1920830 1280

Nome Científico: Ipomoea cairica
Família: Convolvulaceae
Categoria: Plantas Daninhas, Trepadeiras
Clima: Equatorial, Mediterrâneo, Subtropical, Temperado, Tropical
Origem: América do Sul, Brasil
Altura: 2.4 a 3.0 metros
Luminosidade: Sol Pleno
Ciclo de Vida: Anual

Sobre a Ipomoea cairica

Ipomoea cairica é uma trepadeira vigorosa e perene, com uma raiz tuberosa marrom por fora e branca por dentro.

O caule cresce até cerca de 5 m de comprimento, é liso e entrelaçado. As folhas são verdes, palmadas, dissecadas em 5-7 folíolos, com 30-100 mm de diâmetro.

As folhas são alternadas e as folhas amassadas não são aromáticas.

Devem ser cultivadas a pleno sol, em solos drenáveis, com regas regulares.

Não exige fertilidade, crescendo mesmo em solos pobres.

É rústica e apresenta rápido crescimento, sendo frequente a sua utilização como trepadeira anual.

Planta de fácil crescimento, enrosca-se sobre os suportes e podendo chegar à três metros de altura.

Apesar de não tolerar o frio intenso, pode ser conduzida em clima temperado, durante a Primavera e o Verão.

Ipomoea Cairica

Ipomoea cairica multiplica-se facilmente por sementes

Esta trepadeira é muitas vezes considerada invasora por causa de sua rusticidade e crescimento rápido e talvez por isso não seja mais valorizada pelos paisagistas, podendo-se observá-la com frequência em terrenos abandonados e matas se desenvolvendo de forma desordenada.

Usada para revestimento de cercas, muros e grades; também serve para esconder temporariamente entulhos e outras estruturas feias no jardim.

Como perde a beleza com o tempo, não é indicada para cobrir estruturas mais caras e maiores, como pérgolas e caramanchões.

Uma trepadeira que gosta de sol, deve ter regas regulares, cresce em solo pobre mas drenável.

Possui flores de coloração rosa com o centro arroxeado, tendo outras variedades.

Deve ser utilizada para cobrir treliças, cercas e muros.

É uma planta anual que perde a beleza com o tempo, sendo indicado a poda, para renovação da planta.

Frutos são pequenas cápsulas, contendo quatro sementes, que tornam-se castanhas à medida que amadurecem.

Propagação

Multiplica-se por sementes e por estacas.

É facilmente enraizada em estacas de ponta e estacas de caules, depois de enraizados podem ser transplantados.

istockphoto 1283457518 612x612 1 - Ipomoea Cairica

Uso medicinal da “campainha”

A infusão feita com as folhas é utilizada popularmente no tratamento de erupções cutâneas, especialmente aquelas acompanhadas por febre.

Remédios preparados com as raízes, além de serem utilizados para as condições clínicas citadas, também são usados na hepatite.

Alonso (1988) ainda atribui tanto às folhas quanto às raízes de I. cairica, uma ação purgativa, embora Pio Correia (1978) relate a utilização dessa espécie como antidiarréico e antissifilítico.

Franco e Fontana (1997) citam a utilização das partes aéreas da planta como antiinflamatório e anti-reumático.

Ipomoea cairica é uma alpinista vigorosa e perene que foi amplamente introduzida como um jardim ornamental em regiões tropicais, subtropicais e temperadas.

É uma trepadeira de rápido crescimento que se espalha facilmente por fragmentos de sementes e caules e uma vez naturalizada, tem potencial para vencer as plantas nativas, invadindo completamente o espaço escalando e sombreando outras espécies de plantas.

As hastes trepadeiras e trepadeiras de I. cairica enrolam-se em torno de plantas de suporte vizinhas, sufocando arbustos e árvores nativas, impedindo seu crescimento e impedindo sua regeneração.

Atualmente, esta espécie é listada como uma erva daninha na Tailândia, Vietnã, sul dos EUA, América Central e do Sul e como invasora e gravemente prejudicial ao meio ambiente no sul da China, Japão, Austrália, Singapura, Ilhas Canárias, Cuba e em muitas ilhas em região do Pacífico.

Mais info: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ipomoea_cairica

Votos: 69 | Pontuação: 4.7

Partilhar este artigo

Publicado por Olga Guedes

Adora flores, quer que sinta o cheiro e viva intensamente esta força da natureza.

2 Comentários

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *