Arruda | ruta-de-cheiro-forte família das retaceas

Durante a Idade Média, a arruda foi usada para gerar protecção contra o mal e para prevenir a Peste Negra. A arruda era usada como antídoto grego que tratava uma  gama extensiva de venenos.

A espécie Ruta graveolens, popularmente conhecida por Arruda, pertence à família Rutaceae e ao gênero Ruta.

Em alguns lugares recebe outras denominações, tais como: arruda-fedida ou arruda-dos-jardins. Não por acaso este último está relacionado directamente à prática de cultivar arruda em jardins, hábito cultural muito difundido mundialmente.

É uma planta da família das retaceas, também conhecida como arruda doméstica, arruda de jardins, arruda fedorenta e ruta-de-cheiro-forte.

É uma planta perene muito ramificada que pode ultrapassar 1 metro de altura.

As flores são de pequeno porte e de cor amarelada, formando inflorescências do tipo umbela.

O fruto é uma cápsula, com quatro ou cinco lobos, que se abrem, quando maduros, na porção superior ou ao longo do fruto originando quatro ou cinco valvas.

Quase sempre as partes da planta que são mais utilizadas são as folhas, as flores e a raiz.

Arruda

As folhas da arruda são indicadas para a elaboração de chás calmantes

Segundo a sabedoria popular, ratificada por estudos científicos, esta planta é bastante utilizada em mulheres que precisam regular seu ciclo menstrual, já que ela estimula o útero e provoca o sangramento menstrual.

Infelizmente, por causa deste efeito, é muito usada também para fins abortivos. Outro uso seria no combate à conjuntivite, apenas macerando as folhas acrescidas posteriormente de água mineral (pode ter sido fervida, mas precisa estar em temperatura natural) e aplicar sobre os olhos fechados um algodão encharcado neste líquido. Fazer esta operação durante algumas vezes por dia.

As suas folhas são indicadas para a elaboração de chás calmantes. As crendices se misturam aos saberes populares, e uma delas diz que se deve manter um punhado de galhos de arruda no ambiente para espantar os espíritos ruins ou ainda usar um galho atrás da orelha para combater o mau olhado.

Preferências de cultivo da arruda:

Adapta-se a qualquer solo mas dá preferência a solos secos e pobres, bem-drenados, exposição solar ou parcialmente sombreada e tolera temperaturas até aproximadamente -10ºC.
Forma de propagação:

Sementeira – as sementes amadurecem entre agosto e outubro. Pode colocar em vasos e nos locais permanentes em qualquer altura do ano.
Características ornamentais:

Floração entre junho e setembro. H: 0,5 m, ᴓ 0,3m

Descrição dos cheiros e sabores:

Aroma muito intenso e pungente, o sabor é amargo.

Chá de arruda:

Colocar água numa panela e, quando ferver, apagar o lume. Acrescentar 1 punhado de folhas secas de arruda. Deixe descansar durante 30 minutos, coar e beber a seguir.

retaceas - Arruda

A arruda pode crescer em muitos tipos de clima.

Embora os melhores resultados sejam obtidos com temperaturas amenas, esta planta pode crescer bem em temperaturas entre 4°C e 30°C.
Cresce melhor com luz solar directa, mas também tolera sombra parcial.

Sabia que…

Plínio relatou que os pintores da sua era comiam folhas de arruda com intuito de aperfeiçoar a visão.

Leonardo da Vinci e Michelangelo afirmaram que os “poderes mágicos” da arruda favoreceram as suas capacidades criativas.

Um outro mito misterioso e curioso da Europa é a relação da arruda ao “Vinagre dos quatro ladrões”. Conta-se que no século XVII, a Europa foi atingida por uma doença que vitimava centenas de pessoas por semana, cuja cura era desconhecida, para sinalizar as casas infectadas eram marcadas grandes cruzes vermelhas nas paredes destas. No entanto, estas cruzes não atormentavam os ladrões, que pareciam imunes à doença, só muito tempo depois é que se descobriu a sua forma de protecção: uma mistura de vinagre de vinho com arruda, sálva, alecrim, menta, absinto, lavanda, cânfora, alho, noz-moscada, cravo e canela.

Nas aldeias de Portugal é muito comum plantarem esta espécie no jardim ou na horta para afastar o Mafarrico (Diabo).

Arruda | ruta-de-cheiro-forte família das retaceas
4.7 (94.12%) 34 votos

Comentários

  1. Deolinda Paiva || at

    Tenho sempre arruda no meu jardim… blog com bons textos

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *