Astrapéia – Dombeya wallichii – Família Malvaceae

Nome Científico: Dombeya wallichii
Nomes Populares: Astrapéia, Astrapéia-rosa, Dombéia, Flor-de-abelha
Família: Malvaceae
Categoria: Árvores, Árvores Ornamentais
Clima: Equatorial, Mediterrâneo, Subtropical, Tropical
Origem: África, Madagascar
Altura: 2 a 5 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

 

Considerada árvore de pequeno porte ou arbusto grande, que atinge aproximadamente 5 metros de altura e até mais que isso de crescimento para as laterais. Folhas grandes, em forma de coração, macias e muito pilosas, parece veludo. Flores lindas que se agrupam em cachos pendentes e estão sempre visitadas por abelhas, encontradas nas cores rósea e branca.

Desenvolve-se bem a sol pleno ou parcialmente ensolarado, em solo rico em húmus, com boa drenagem e irrigada quando a terra estiver seca. Não tolera muito frio.

As flores nascem brancas e com o passar do tempo tornam-se rosa. São ricas em néctar e delicadamente perfumadas. Apresenta rápido crescimento e baixa manutenção, que se destaca principalmente em plantios isolados, mas que pode ser parcialmente sombreada por outras árvores ou construções.

A Astrapéia (Dombeya wallichii), conhecida também como dombéia, flor-de-abelha ou hortênsia-tropical, é um arbusto ou uma arvoreta ornamental, que se destaca por sua rara beleza.

Nativa da África, a Astrapéia apresenta ramos pubescentes, pode alcançar até cinco metros de altura. As folhas são grandes, perenes, cordiformes e pubescentes na face inferior, tem coloração verde brilhante.

No Outono e no Inverno, surgem as inflorescências umbeliformes, sustentadas por longos pedúnculos, pendentes, globosas, com muitas flores cor de rosa a avermelhada.

Sendo de clima subtropical, a folhagem da astrapéia não é muito resistente a geadas fortes. Fertilizações na primavera e verão estimulam um crescimento saudável e florações exuberantes.

Multiplica-se por sementes e mais facilmente por alporquia e estaquia de ramos semi-lenhosos ou de ponteiros.

Astrapéia – Dombeya wallichii

Paisagismo

É uma árvore de pequeno porte, mas que não deve ser colocada em calçadas, porque tem muitas raízes superficiais e por causa da sua copa muito larga e baixa, poderia comprometer a passagem de transeuntes e veículos.

Alguma dicas para começar o cultivo da astrapéia:

1 – Abrir um buraco o dobro do torrão da muda. Com uma pá soltar um pouco a terra do fundo e das laterais do recipiente em que ela foi adquirida, pois a pá de corte tende a compactar e as raízes sofrerão para crescer.

Colocar num balde cerca de 1 a 2 kg de adubo animal de curral bem curtido ou a metade desta quantidade se o adubo for de cama de galinheiro.

2 – Acrescentar quantidade suficiente de composto orgânico e misturar bem. Adicionar ainda 100 gramas de farinha de ossos. Colocar parte da mistura no fundo do buraco e acomodar a muda. Preencher as laterais com a mesma mistura, colocar também um tutor.

Amarrar o tronco da muda ao tutor com um cordão de juta ou algodão, dando a forma de um oito, para evitar estrangular a casca.

3 – Para criar um ambiente tradicional para a árvore, é preciso regar todos os dias, inclusive no mesmo dia em que houve a iniciação do cultivo.

Quando chover, não precisa regar. Se a região tem chuvas espaçadas, faça ao redor da muda uma bacia com terra para as regas.

 

Votos: 1 | Pontuação: 5

Partilhar este artigo
  • 3
    Shares
Artigo colocado por Olga Guedes em 15 Janeiro, 2020.
Copyright Blog Flores. Reprodução permitida desde que indicando o endereço:
https://www.blog-flores.pt/flores-de-arbustos/astrapeia-dombeya-wallichii-familia-malvaceae/

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *