Azevinho pode viver 100 anos ou mais

Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Celastrales
Família: Aquifoliaceae
Tribo: Vandeae
Género: Ilex

O Azevinho

Da família das Aquifoliaceae, o azevinho (Ilex aquifolium) é uma planta popular em várias regiões do mundo, nomeadamente pela sua ligação íntima ao Natal.

Também conhecido por azevim, azevinheiro, pica-folha e espinho-de-cristo, o azevinho é um arbusto de médio porte que pode atingir entre os 10 e os 15 metros de altura, assemelhando-se não raras vezes a uma pequena árvore.

Azevinho pode viver 100 anos ou mais

A Azevinho suporta muito bem a sombra, podendo viver sob coberto de árvores maiores

Embora não seja exigente quanto ao tipo de solos, prefere os solos frescos, ligeiramente ácidos, leves, ricos em matéria orgânica e de boa drenagem e estações com pluviosidade alta ou média, bem como altitudes até aos 1.500 m.

As folhas, verde-escuras ou bicolores (geralmente verde e branco ou verde e creme), são ovaladas ou lanceoladas e de bordo ondulado e espinhoso, por vezes liso em indivíduos ou ramos mais idosos. As flores são brancas, de pequena dimensão.

Origem e Habitat

Surge de forma espontânea em Portugal continental. Encontra-se em bosques caducifólios (carvalhais) e matagais, em regiões montanhosas até aos 1500 m com pluviosidade alta ou média. Frequentemente ocupa encostas sombrias e húmidas com solos ligeiramente ácidos, leves e ricos em matéria orgânica.

Nas ilhas da Madeira existe uma espécie de azevinho endémica – que apenas existe nesta ilhas – e que é muito diferente do Ilex aquifolium – é o Ilex canariensis.

Também nos Açores existe uma espécie de azevinho exclusiva destas ilhas – o Ilex perado subsp. azorica.

A planta do azevinheiro

Tem um crescimento lento e pode apresentar-se com porte arbustivo ou arbóreo, chegando a atingir 8-10 m de altura. O tronco é liso e esverdeado. As folhas, de cor verde-escuras, são oblongas e muito rígidas, coriáceas e reluzentes, com margens onduladas e dentes espinhosos. Em ramos ou árvores mais velhas, as folhas tendem a ficar com os bordos mais lisos e sem espinhos. As flores, solitárias ou em ramalhetes, são brancas ou rosáceas e nascem na inserção das folhas.

A floração ocorre de Abril a Junho, frutificando apenas as plantas-fêmea, de Outubro a Dezembro. Por se tratarem de plantas dióicas (um só sexo em cada planta), é necessário uma planta-macho para a planta-fêmea frutificar.

Os frutos, “bolinhas” brilhantes de cor vermelha ou amarela viva, são muito apelativos para os insectos, e podem manter-se na árvore durante muito tempo.

Azevinho pode viver 100 anos ou mais

No jardim

As diferentes variedades de azevinho são muito cultivadas como plantas ornamentais. Apesar de ser uma planta de crescimento muito lento, pode viver até aos 300 anos. É muito resistente ao frio de inverno, mantendo sempre verdes as suas folhas brilhantes e cerosas e as bagas vermelhas que salpicam de alegria os dias cinzentos de inverno, atraindo pássaros para o jardim.

Como plantar o Azevinho ?

Preparar o solo no início da Primavera, passado o perigo de geadas, com o terreno húmido e sem encharcamento. Se o solo for pesado e pobre deve adicionar-se turfa antes de se proceder à plantação.

Fazer uma cova com uma profundidade que permita à planta ficar com a parte superior da raiz ao nível do solo. Preencher metade da altura da cova com terra e regar abundantemente. Escorrida a água de rega, tapar a cova com mais terra e finalmente afagar e comprimir um pouco o solo em torno da planta.

A plena produção do azevinho só se verifica a partir do sétimo ano após a plantação. A partir do quarto ano a planta tem de ser podada no início da Primavera, antes da floração, e no Verão, após a frutificação, por razões estéticas e para fortalecer o seu crescimento.

Azevinho

Árvore sagrada

As bagas vermelhas do azevinho fêmea (Ilex aquifolium L.) são a principal atracção deste arbusto, que continua a ser muito utilizado para decorações na época natalícia. A intensa procura, sobretudo no Natal, colocou esta espécie na lista de plantas em vias de extinção.

É que, como apenas o azevinho fêmea tem procura, o macho fica sem condições de reprodução em muitas zonas. Esta é uma espécie dioica (plantas masculinas e femininas distintas).

Apenas as plantas femininas produzem frutos. O azevinho, planta da família das aquifoliáceas, também é conhecido por aquifólia, árvore sagrada, espinho-de-cristo, pica-folha, visqueiro ou zêbro.

Segundo certos autores, o azevinho está igualmente ligado à história cristã, por ter auxiliado a esconder Jesus Cristo dos Soldados de Herodes. O que, a título de reconhecimento, lhe terá dado a vantagem de conservar as folhas verdes por muito tempo, mesmo durante os meses frios de Inverno.

Da mesma forma, as folhas espinhosas e os bagos vermelho-sangue servem para incutir nos cristãos a memória de que Cristo nasceu para ser coroado de espinhos e derramar o seu sangue para livrar todos os Homens do pecado.

Sabia que…

Antigamente, nos castelos ingleses medievais, cepos maciços da madeira do azevinho eram queimados, na esperança de arderem no período que ia da véspera de Natal à Epifania. O que sobrava era guardado para acender o toro do ano seguinte. A sua madeira é tão valorizada que até os reis espanhóis a escolheram para construir as janelas do palácio real de Madrid.

O azevinho, autóctone e espontâneo, tem sido alvo de uma procura excessiva, desenfreada e sem critério que o tornou numa espécie rara, com sobrevivência muito ameaçada e mesmo em perigo de extinção.

A colheita, completa ou parcial, está interdita em Portugal (Decreto-Lei n.º 423/89 de 4 Dezembro), uma vez que é uma espécie protegida.

Mais informação na wiki.

Votos: 25 | Pontuação: 4.7

Partilhar este artigo
  • 15
    Shares
Copyright Blog Flores. Reprodução permitida desde que indicando o endereço:
https://www.blog-flores.pt/flores-arbustos/azevinho/

2 Comentários

  1. Sónia Matos || at

    No Natal faço questão de ter sempre esta planta no meu arranjo

  2. luiz andré peralta || at

    os antigos Celtas a consideravam como planta sagrada .

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *